Fla até vence, mas não consegue manter briga pelo título
25/11/2018 19:28 em Esporte

O Flamengo até fez sua parte e venceu o Cruzeiro por 2 a 0, no estádio do Mineirão, na tarde deste domingo (25). Mas não teve jeito: o Palmeiras ganhou do rival Vasco por 1 a 0, em São Januário, e conseguiu conquistar o título, eliminando qualquer chance do rubro-negro. A uma rodada do final do Campeonato Brasileiro, o time de São Paulo chegou aos 77 pontos, contra os 72 conquistados pelo Flamengo até o momento. O rubro-negro, que não pode mais ser ultrapassado pelo terceiro colocado, o Internacional, se confirmou vice-campeão.

No Mineirão, o Cruzeiro começou com mais posse de bola e tentativas de se aproximar do ataque. Logo no primeiro minuto, Ariel Cabral tentou cruzar, após receber bem pela esquerda, mas Rhodolfo conseguiu tirar. Mas o Flamengo também entrou bem no jogo. Aos 6, Uribe tentou chutar, após William Arão errar o domínio, mas Fábio defendeu.

O marcador abriu pouco depois, aos 9, com um golaço de Éverton Ribeiro. Honrando a chamada "lei do ex", uma vez que já vestiu a camisa do rival, o atacante recebeu a bola de William Arão, que passava pela direita, driblou Egídio e chutou praticamente sem ângulo para fazer o primeiro gol do rubro-negro na partida.

Aos 16, os jogadores do Cruzeiro reclamaram bastante, pedindo pênalti de Léo Duarte em Arrascaeta, que tentava invadir a área pela esquerda quando caiu. O juiz não deu nada e ainda precisou conversar com o uruguaio para que o jogo fosse retomado, dois minutos depois.

Aos 21, o mesmo Arrascaeta levantou para Fred na área, que passou para Robinho, mas a finalização foi para fora. Outra chegada boa foi aos 37, em um chute de Thiago Neves, defendido por César. A jogada começou quando a bola foi alçada para Dedé na área, que mandou de cabeça para trás, para Fred, que ajeitou para Thiago Neves.

Pelo lado rubro-negro, Vitinho tentou cruzar na área, aos 27, mas ninguém do Flamengo chegou e Fábio conseguiu tirar. Éverton Ribeiro ainda recebeu de Léo Duarte na direita, mas chutou por cima do gol – não sem antes o goleiro tirar com um tapinha.

Na segunda etapa, de novo o Cruzeiro tentou chegar bem ainda no primeiro minuto, com Thiago Neves, mas César conseguiu segurar. E o Flamengo, mais eficiente, mais uma vez conseguiu marcar, de novo graças à habilidade de seu camisa 7. Ele dominou e arriscou de longe, acertando um lindo chute e ampliando o placar vitorioso.

O jogo, que seguia tranquilo para o juiz, esquentou aos 20 minutos, quando Fred e Cuéllar discutiram e trocaram empurrões. O árbitro distribuiu cartões amarelos para os dois atletas e a partida só retornou dois minutos depois.

O Cruzeiro ainda teve uma boa chance de possível boa aérea, com uma falta na entrada da área, mas Thiago Neves cobrou na barreira, aos 15. Na sobra, Edilson cruzou na área e Dedé tentou de cabeça, mas Renê conseguiu tirar – o goleiro estava fora do gol.

Uma das melhores chances dos donos da casa foi aos 32, quando Pará tirou a bola em cima da linha e salvou o Flamengo, após chute de David. Quase no mesmo momento, o Palmeiras fazia, no estádio de São Januário, o gol que daria o título ao clube paulista, eliminando as chances de título do Flamengo. O resultado foi muito comemorado pela torcida do Cruzeiro.

Mas, no Mineirão, o Flamengo se recusava a perder, apesar da pressão do Cruzeiro ter aumentado. Edilson chegou ao ataque, com um belo chute, aos 34. Rodolpho, de novo em cima da linha, salvou o rubro-negro. Pouco depois, César também fez uma boa defesa.

O Flamengo apenas cumpre tabela na 38ª e última rodada do Campeonato Brasileiro, no domingo que vem (2/12), quando enfrenta o Atlético-PR, às 17h. Já o Cruzeiro pega o Bahia, no mesmo dia e horário, na Arena Fonte Nova.

 

Fonte: Destak Jornal

Foto: Estadão Conteúdo

COMENTÁRIOS